Prefeitura confirma instalação de mais um ateliê terceirizado da Beira Rio em Venâncio

Por Cristiano Wildner e Taís Fortes

* Atualizado às 17h02min para acréscimo de informações

A Prefeitura de Venâncio Aires confirmou, na manhã de ontem, a parceria com a Calçados Beira Rio para a instalação de mais um ateliê terceirizado da empresa na Capital do Chimarrão. A informação foi anunciada pelo secretário de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo, Nelsoir Battisti.

Ele destaca que nos últimos dias a gerência da indústria calçadista já esteve quatro vezes em Venâncio para analisar possíveis prédios. A meta é achar um local que tenha cerca de 1,5 mil metros quadrados para a instalação da empresa terceirizada. “Entre a Prefeitura de Venâncio Aires e a Beira Rio isso já está fechado, estamos na dependência, apenas, de encontrar o prédio para que essa terceirizada possa se instalar. Estamos trabalhando em cima disso”, destaca.

Segundo o titular do Desenvolvimento Econômico, depois que o prédio for encontrado, o projeto para incentivo industrial, por meio do aluguel desse imóvel por um período, será encaminhado para apreciação do Legislativo. “Está tudo muito alinhado entre a Beira Rio e a Prefeitura de Venâncio. Há vários corretores de imóveis que nos procuraram e ofereceram lugares para a instalação dessa empresa”, comenta o secretário.

De acordo com o gerente da filial 6 da Calçados Beira Rio, localizada em Mato Leitão, Marco Antônio Caneppele, a empresa já tem os empreendedores para iniciarem o ateliê e a direção autorizou a busca pelo prédio adequado. “Precisamos com urgência. Temos uma boa demanda e quanto antes acharmos o local, melhor”, salienta.

Ele informa que no início da operação o ateliê deve gerar cerca de 60 postos de trabalho e, com a ampliação no número de linhas de montagem, essa quantidade deve ser ampliada e variar entre 150 e 160 empregos. A abertura dessas empresas terceirizadas faz parte do plano de expansão da planta fabril da Cidade das Orquídeas.

Novo sistema

Desde que retomou as atividades na Cidade das Orquídeas, em abril do ano passado, após ter sido atingida por um incêndio em março de 2020, a filial da Calçados Beira Rio opera em um novo modelo de produção, focado na terceirização dos serviços, com a costura e a montagem do calçado sendo feitas em ateliês terceirizados.
Segundo Caneppele, na região, há três ateliês que realizam a montagem do calçado para a unidade de Mato Leitão. Eles estão localizados no Distrito Industrial, em Venâncio Aires, um em Vera Cruz e um em Arroio do Tigre. Além disso, há um que está em fase de implantação em Passo do Sobrado e deve iniciar as atividades em julho.

Com a confirmação da instalação de mais um ateliê em Venâncio, com local a definir ainda, a indústria calçadista contará com cinco prestadores de serviço trabalhando com a montagem dos sapatos. Hoje, com os terceirizados já em atividade, são gerados 450 postos de trabalho.

A unidade de Mato Leitão, que tem 200 colaboradores, também conta com a prestação de serviços terceirizados na área de costura, com dois ateliês instalados na Capital do Chimarrão [um no bairro Santa Tecla e outro também no Distrito Industrial], um em Mato Leitão, um em Estrela e um em Bom Retiro do Sul, totalizando 300 pessoas empregadas. Venâncio também tem um ateliê que presta serviços de montagem para a filial da Beira Rio de Santa Clara do Sul, localizado na RSC-453, com 160 colaboradores.

60%

dos 800 colaboradores que a filial da Calçados Beira Rio de Mato Leitão tinha antes do incêndio eram moradores de Venâncio Aires. Conforme Caneppele, desse total, uma parte foi remanejada para atuar na planta fabril de Santa Clara do Sul e outra foi empregada nos terceirizados já em funcionamento em Venâncio.


Geração de emprego
• Para o presidente do Sindicato dos Trabalhadores no Calçado e Vestuário de Venâncio Aires e Mato Leitão, João Émerson Dutra de Campos, a abertura desses ateliês terceirizados da Calçados Beira Rio é importante para a geração de emprego na Capital do Chimarrão. “Temos mão de obra no município e quanto mais emprego melhor”, salienta.

• Ele também observa que nos 90, Venâncio Aires tinha cerca de sete mil trabalhadores no ramo calçadista. Contudo, seguindo uma tendência de outros municípios do estado, essa quantidade diminuiu. “No início da pandemia não tínhamos 200 trabalhadores na área do calçado. É muito boa essa retomada”, avalia.

• Atualmente, Venâncio não conta com indústrias de grande porte no ramo calçadista, mas há ateliês que se dedicam a essa produção. Além disso, muitos moradores da Capital do Chimarrão trabalham em empresas sediadas em municípios da região, como é o caso das filiais da Beira Rio em Mato Leitão e em Santa Clara do Sul.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias

Podcasts